Advogados avaliam legalidade de processo de impeachment do prefeito de Caxias do Sul


Um grupo de advogados se debruçou na quarta-feira sobre a denúncia contra o prefeito Daniel Guerra (PRB). O objetivo foi verificar se houve o cumprimento do rito legal da sessão ordinária, da votação do pedido de impeachment e da eleição da comissão. Nesta quinta e sexta-feira, será a vez do núcleo político de Guerra se reunir para definir as estratégias que serão adotadas para enfrentar o período de discussão do impeachment.

O presidente do PRB caxiense, Heron Fagundes, ouviu lideranças da base do governo e simpatizantes da administração sobre como estão interpretando o processo de impedimento de Guerra. Na avaliação de Heron, a terceira denúncia de impeachment foi mais trabalhada do que as duas anteriores, mas ressalta a fragilidade da peça.

Com a denúncia protocolada na tarde de terça-feira e a votação na quarta, Heron diz que não houve tempo suficiente para a mobilização de apoio ao prefeito e que muitos simpatizantes não acreditavam que o pedido pudesse ser aprovado. Segundo ele, a proximidade das festas de final de ano e das férias deixaram as pessoas desconectadas com a política do município.

— Muitos disseram que era mais um pedido que não iria dar em nada. O processo foi banalizado e gerou um descrédito. Passado esse processo de impeachment, virão outros mais. Tem que dar atenção para cada pedido — reforça Heron.

O presidente do PRB garante que haverá mobilização no momento necessário e diz que nas redes sociais já iniciaram as primeiras manifestações de apoio a Guerra.

— Existe um movimento que está nascendo para apoiar o prefeito neste momento de impeachment e vai crescer. As pessoas não querem o retorno da oposição. No começo do ano que vem, haverá uma mobilização com maior força para que o pedido seja arquivado.

O Pioneiro foi às ruas e perguntou se as pessoas concordam ou não com o impeachment

Fonte:Jornal pioneiro.

#CaxiasdoSul #ConexãoRS

7 visualizações0 comentário